Three of A Perfect Pair (King Crimson)

Three of A Perfect Pair (King Crimson)Olá, tudo bem?

Aqui seguimos com mais uma transcrição! O tema de estudo é a performance de Bill Bruford na música Three of A Perfect Pair, lançada em 1984 pelo King Crimson.

Por ter tocado em álbuns marcantes deste grupo, e em outros de bandas como Yes e U.K., além de ter excursionado com o Genesis, o baterista inglês se consagrou como um dos principais bateristas do estilo que ficou conhecido como rock progressivo.

Mas o músico não parou por aí, continuando a experimentar com as mais diversas formações e estilos musicais. Seus kits de bateria acústicos e eletrônicos acompanharam essa evolução.

Como líder, lançou diversos álbuns com o grupo Bruford (nos anos 70 e 80) e com o Earthworks (entre os anos 80 e 00), banda diretamente ligada ao jazz.

Bill Bruford também tocou com: Michiel Borstlap, David Torn, Patrick Moraz, Chris Squire, Annette Peacock, Rick Wakeman, Al Di Meola, Ralph Towner e Eddie Gomez, Kazumi Watanabe, entre outros.

Vamos à analise de Three of a Perfect Pair que, sem dúvida, é uma das minhas músicas preferidas do King Crimson! 

Para facilitar a compreensão daqueles que não tem intimidade com fórmulas de compasso, e nesta música temos mais de uma, optamos por anotar os tempos na partitura. Three of a Perfect Pair

A parte A (verso), que está em 6 por 8 (seis tempos por compasso, unidade de tempo = colcheia), é a primeira parte desta canção.

Aqui, o baterista toca a caixa nos tempos 2 e 5, o bumbo no 1 e no 4, e o chimbal em semicolcheias. Aberturas de chimbal completam esta levada, que possui uma ideia musical de um compasso (vide compasso 1). Nos compassos 11 e 12 encontramos pequenas variações no ritmo do bumbo.

No verso seguinte, notamos que as levadas passam a ser de dois compassos (por exemplo, compassos 15 e 16). Perceba que o ritmo do bumbo muda em relação ao verso anterior.

No refrão, a fórmula de compasso muda para 7 por 4 (sete tempos por compasso, unidade de tempo = semínima). Aqui a caixa é tocada principalmente nos tempos pares e o chimbal aberto nos contratempos. Notamos também que esta levada em 7, tem dentro dela um grupo de 4 tempos e outro de 3 (vide contagem no compasso 30).

Entre este refrão e a volta para a parte A, temos o interlúdio (compassos 34 e 35), onde Bill Bruford faz uma combinação interessante de duas ideias já tocadas nas seções anteriores. O ritmo do bumbo e da caixa é similar ao do primeiro verso e o ritmo do chimbal é idêntico ao do refrão.

O baterista toca uma ideia similar no segundo interlúdio (compassos 55 e 56), mas exclui o chimbal da levada.

Durante o original solo de guitarra Adrian Belew, o baterista continua tocando apenas bumbo e caixa. Nesta seção, a música muda para 7 por 8 (sete tempos por compasso, unidade de tempo = colcheia).

Após o solo, temos o refrão duas vezes. A primeira delas é similar às anteriores. Já no último refrão, Bill Bruford passa tocar uma levada em 7 por 8 sobre o 7 por 4 tocado pela banda. Note que a melodia da voz segue igual em ambos refrãos.

Aqui o baterista combinou o ritmo de bumbo e caixa do solo de guitarra com o chimbal tocado nos refrãos anteriores.

                 Bill Bruford 6         Bill Bruford 7         Bill Bruford 8

Com isso, ocorre algo interessante. No refrão em 7 por 4 (sete semínimas ou catorze colcheias), o chimbal era aberto nos contratempos (uma colcheia não e outra sim). Como no refrão em 7 por 8 o chimbal continuou sendo aberto da mesma maneira, e cada compasso tem sete colcheias, isso fez com que em um compasso tenha a abertura nos tempos ímpares e o seguinte nos tempos pares, sobre o mesmo ritmo de bumbo e caixa (veja os compassos 78 e 79).

Em Three of A Perfect Pair encontramos algumas marcas registradas de Bill Bruford como: criar levadas originais para cada parte da composição, dominar diversas fórmulas de compasso, e tocar sobreposições de ritmos e fórmulas de compasso.

Entretanto, para que possam constatar o quão inquieto, inovador e original o baterista é, recomendamos que procurem mais gravações de sua extensa e variada discografia.

Até a próxima!

 

Clique aqui para ouvir a versão original de Three of A Perfect Pair

 

                       

Versão ao vivo de Three of A Perfect Pair (1984)                      Versão ao vivo de Three of A Perfect Pair (1995)  

 

                       

Entrevista com Bill Bruford (1984)                                           Bill Bruford com a Buddy Rich Big Band – Willowcrest (1991)