Oh! Darling (The Beatles)

Oh! Darling é uma canção dos Beatles que faz parte do álbum  Abbey Road, lançado em setembro de 1969. Nesta canção (com a fórmula de compasso 6 por 8), o baterista Ringo Starr demonstra que sua característica principal é tocar para a canção, de maneira original e criativa.

Na parte A (e coda, similar à parte A), o baterista toca uma levada utilizando a caixa, o bumbo e o chimbal. A abertura de chimbal na cabeça do tempo 1 e as semicolcheias no chimbal nos tempos 2 e 3, fazem com que esta levada contraste com a levada da parte B, mais simples e convencional. O prato de ataque é tocado apenas na segunda seção.

Ringo toca os fills (viradas) adequados para cada momento da canção. Na parte A, encontramos viradas mais longas, que são tocadas apenas no final da seção (compassos 14 a 17; 14/18 a 20; 49 a 52), trecho onde o baterista preenche um espaço deixado pela  melodia cantada por Paul McCartney.

No decorrer da parte B, encontramos viradas curtas, usadas para reforçar a melodia (compassos 22 e 54) ou “dialogar” com a mesma (compassos 24, 28, 56 e 59/60). No encerramento da parte B (compassos 33 a 35, e 65 a 67) e da música (compassos 82 a 84),  encontramos viradas iniciadas com idéias musicais similares às da primeira seção. O bumbo é tocado na cabeça dos tempos na maioria dos fills desta música.

Ainda sobre os fills, notamos que o baterista aplica os seguintes rudimentos: drag (compassos 15, 18, 50, 54, 60, 66, 82), rulo de toques simples (compassos 19 e 20, 34, 51 e 52, 54, 66, 82) e flam (compassos 22, 24, 28 e 56).

                                                                                               

Um fato curioso, é que Ringo Starr normalmente conduz as levadas com a mão direita, mas inicia suas viradas com a mão esquerda (o mais comum é que bateristas canhotos liderem com a mão esquerda, e os destros com a direita). No vídeo abaixo (entrevista), o baterista fala sobre sua maneira não-convencional de tocar o instrumento.

Ouvindo esta música e o álbum Abbey Road, podemos perceber que os tambores possuem uma sonoridade grave e abafada, diferentemente dos primeiros discos do Beatles, onde os tambores tinham uma sonoridade mais aberta.

Para conseguir esse som, Ringo passou a usar afinações mais baixas, além abafar os tambores. Panos eram postos sobre caixa, tom e surdo. Para abafar o bumbo, objetos como cobertores eram colocados no interior deste tambor. Tirar a pele de resposta do bumbo também favorecia esta sonoridade.

Para finalizar, é importante citar que o andamento (semínima pontuada = 58) é apenas uma sugestão, já que esta gravação não foi feita com o uso do metrônomo.

Versão original de Oh! Darling

 

             

Entrevista de Ringo Starr (1981)                                      Faixa da bateria isolada