Bandoliers (Them Crooked Vultures)

Olá, tudo bem?

Vamos em frente com mais uma transcrição! Desta vez temos aqui ninguém menos que Dave Grohl, um de meus baterista de rock preferidos!

A música é Bandoliers, que faz parte do único álbum lançado pela banda Them Crooked Vultures, que também conta com o guitarrista e cantor Josh Homme (Queens of The Stone Age, Kyuss) e o baixista e tecladista John Paul Jones (Led Zeppelin).

Clique aqui para ver a transcrição completa

Optei por transcrever um “lado B” do músico, deixando seus hits baterísticos com o Nirvana, Foo Fighters, ou Queens of The Stone Age de lado desta vez.

Vale acrescentar que, como baterista, Dave Grohl tem uma discografia considerável, tendo gravado com: Scream (antes do Nirvana), ProbotNine Inch Nails, Cat Power, Tony Iommi, Juliette & The Licks, Killing Joke, Ghost, Prodigy, Tenacious D, Slash, Backbeat Band (trilha do fime Backbeat), entre outros.

Imprimam a transcrição, coloquem um bom fone e vamos à música.

Diferenciamos os versos em A1 e A2, já que esta seções possuem ideias musicais similares, mas não idênticas. Segui o mesmo critério nos pré-refrãos e refrãos.

Dave Grohl inicia sua participação em Bandoliers no terceiro compasso da partitura (e da música), tocando a caixa nos tempos 2 e 4. Aliás, que som grande de caixa! A seguir, no compasso 4, o baterista faz uma preparação (fill) para a entrada do groove com o baixo. Viradas muito parecidas e, às vezes idênticas, poderão ser ouvidas mais adiante.

Na segunda metade da introdução, ouvimos uma levada de dois compassos (por exemplo, compassos 5 e 6 da partitura) com chimbal (com acentos na cabeça de cada tempo), bumbo e caixa. Repare que o bumbo está nos contratempos predominantemente. Aberturas de chimbal completam o groove.

Ainda nesta seção, percebemos que a repetição da caixa serve como preparação (compassos 24, 25 e 26) para a seção seguinte. No pré-refrão 2, algo similar acontece entre os compassos 62 e 65.

Them Crooked Vultures (2009)

Nos refrãos, o baterista apresenta uma nova levada, onde toca bumbo, caixa e prato de condução. É possível notar que bumbo e prato de ataque são tocados com freqüência no contratempo do tempo 4, “antecipando” a cabeça do tempo 1, assim como a melodia da voz.

Especificamente no refrão 1, temos uma virada de quatro tempos no compasso 31, além de uma longa preparação (de oito tempos) nos compassos 34 e 35.

No refrão 2 acontece algo similar. As viradas de quatro tempos estão nos compassos 70 e 75 da partitura, e as de oito tempos nos compassos 78/79 e 82/83.

Depois, temos uma interessante seção instrumental, que na partitura está entre os compassos 84 e 119. Note que o primeiro acorde desta parte está no último compasso do refrão 2, mais precisamente no contratempo do tempo 4 (anacruse).

Dave Grohl começa esta parte tocando bumbo e pratos de ataque ou aberturas de chimbal nos contratempos, o que coincide ritmicamente com as mudanças de acordes. Aliás, a mesma seqüência harmônica (quatro compassos) é repetida durante toda a seção. Contudo, o trio se aproveita desta repetição para criar diversas variações rítmicas durante esta parte.

Já caminhando para o fim de Bandoliers temos: verso (A2), parte C e refrão 3.

Antes de retomar o groove na parte A2, Dave Grohl toca uma virada de dois tempos com sextinas, distribuídas entre caixa, tom-tom e surdo. Single stroke roll (toques alternados) é o rudimento aplicado aqui e em boa parte dos fills da música. O flam também é o outro rudimento bastante utilizado pelo baterista.

Kit de bateria de Dave Grohl com o Them Crooked Vultures

Na parte C, ouvimos uma levada com caixa na cabeça de cada tempo e bumbo nos contratempos (“tacu tacu tacu tacu”), além do prato de condução em colcheias (compasso 130). Note que, embora toque este groove, o músico não deixa de reforçar ritmicamente o que é tocado pelos outros músicos.

Diferentemente dos refrãos anteriores, neste último a condução da levada passou do prato de condução para o prato de ataque. Uma curiosidade nesta última parte, é que a banda alterna as ideias musicais que já haviam sido tocadas nos refrãos anteriores com as variações rítmicas apresentadas na seção instrumental (parte B).

Para encerrar a música, o baterista desenvolve uma dessas ideias e faz uma virada “arrasa quarteirão”, utilizando bumbo, caixa, surdo e bumbo (compassos 162 e 163).

Portanto, em Bandoliers, constatamos que Dave Grohl é um perito em tocar para a música, criando ideias musicais marcantes e específicas para cada seção. Isso faz com que seja possível reconhecer vários de seus sucessos com o Nirvana, Foo Fighters, e porque não com o Them Crooked Vultures, apenas ouvindo a linha de bateria.

Para finalizar, recomendo que quando forem praticar esta música, toquem “descendo a lenha”, tentando conseguir o maior som de bateria possível, que é outro traço marcante do baterista.

Bom estudo e até a próxima!

 

                           

Versão original de Bandoliers (Them Crooked Vultures)               Versão ao vivo de Bandoliers (2009)

 

                           
Entrevista do Them Crooked Vultures (BBC Radio 1)                      Dave Grohl no estúdio Sound City